A Prefeitura Municipal de Cachoeira Dourada – MG, através da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, realizou manutenção em área destinada a receber os resíduos sólidos urbanos do município. A área que é conhecida como “buracão”, recebe todo o lixo produzido pela cidade há pelo menos 20 anos e necessita de reparos periodicamente.

No Brasil, estima-se que cada pessoa produza, em média, 1,06 kg de resíduo sólido por dia segundo a Abrelpe. Desta forma, uma pequena cidade de apenas 2.700 habitantes produz mais de 2 toneladas de lixo diariamente.

A coleta dos resíduos urbanos pode ser indiferenciada ou seletiva. É indiferenciada quando não ocorre nenhum tipo de seleção na sua coleta e acabam rotulados como lixo comum. E é seletiva quando os resíduos são recolhidos já com os seus componentes separados de acordo com o tipo de resíduo e destino para o qual são enviados. Após a coleta, o lixo comumente pode ser encaminhado para três lugares: um aterro sanitário, uma unidade de incineração ou uma unidade de valorização e tratamento de resíduos.

No aterro sanitário, o lixo é jogado para que o solo absorva e decomponha seu conteúdo. Este é o destino mais comum para o lixo de coleta Indiferenciada, pois não necessita cuidados especiais e é uma forma de esgotar rapidamente a enorme quantidade de lixo gerado pelas metrópoles e outras grandes cidades.

Atualmente Cachoeira Dourada não possui local específico para destinação final desses resíduos. O Ministério Público Estadual juntamente com os municípios de Capinópolis, Cachoeira Dourada e Ipiaçú já estudam a possibilidade de se fazer um consórcio intermunicipal para criação de um aterro sanitário que receba a produção de lixo desses três municípios. Até a presente data o projeto se encontra em fase de análise e discussão e propostas.

“Se cada um fizer a sua parte, juntos venceremos as dificuldades. Quero agradecer principalmente os servidores que se prontificaram e não mediram esforços para realizar esta ação. O meu muito obrigado aos senhores André, Magno e Manoel, pela contribuição”. Disse Marco Paulo Galvão, Secretário de Agricultura e Meio Ambiente de Cachoeira Dourada – MG.